Estrelas dos novos tempos e a inteligência artificial

Estrelas dos novos tempos e a inteligência artificial

Por Maria Luiza Reis, Presidente da Assespro-RJ e CEO da LAB245

No último dia 30 de março, sábado, dei uma palestra no auditório do Senac Flamengo no evento WoMakersCode RJ.  Este evento era especialmente destinado para mulheres programadoras que desejam entrar no mercado de trabalho ou se aperfeiçoar nos assuntos de tecnologia.

Um mês antes do evento, os palestrantes foram orientados a dar o recado em 20 minutos deixando dicas e links para que as programadoras presentes pudessem se desenvolver por conta própria.  Essa não era uma tarefa fácil.

Meu tema era inteligência artificial, tema esse que conheço muito bem, desde os tempos de doutorado em Engenharia Nuclear no início dos anos 90 até os dias de hoje. Na verdade, a minha história com algoritmos de predição e tomada de decisão começou ainda na graduação quando trabalhava com detecção de falhas em peças usando vibração, depois com controle ativo de ruído, análise de imagens tomográficas de poucas projeções e por fim, visão artificial tridimensional.  Até hoje me surpreendo como entre os anos 1986 e 1994 foi possível fazer tanta coisa que até hoje é considerado moderna.

A inteligência artificial tem atualmente uma importância nunca vista antes dada a um conhecimento de base. No evento de posse da presidência da Assespro-RJ no Museu do Amanhã no dia 11 de março, eu apresentei um quadro que mostrava uma verdadeira corrida da inteligência artificial e que os países mais prósperos já estabeleceram suas estratégias para entrar no páreo.  Eu considero que a IA está para os países de hoje como a corrida espacial estava para o mundo nos anos 60. A grande diferença hoje é que mais países estão nesta corrida para dominar e para não ser dominado.

Fonte: https://medium.com/politics-ai/an-overview-of-national-ai-strategies-2a70ec6edfd

E lembrando da corrida espacial, dos algoritmos dos meus tempos de COPPE/UFRJ e da plateia formada por mulheres, pensei que deveria traçar um paralelo deste momento que estamos vivendo com o filme “Estrelas Além do Tempo” que conta a história de três mulheres negras, que atuavam como “computers” fazendo cálculos complexos para levar o nome dos EUA para o topo da corrida espacial.

Que dica eu deveria dar para aquelas mulheres do Rio de Janeiro, ávidas por conhecimento e para ter uma posição de destaque em tecnologia da informação, ambiente que sem dúvida alguma é mais masculino do que feminino?

Estudem Matemática!  Aprendam Matemática de alto nível, desvendem o cálculo diferencial e integral, a análise funcional, probabilidade e estatística, a geometria e tudo que a matemática tem a ensinar.  Eu ainda disse mais: se você não acha que é boa o suficiente para aprender matemática, reveja seus conceitos: não acredite que matemática é somente para alguns e tome esta competência para si, o seu conhecimento da tecnologia só não se tornará obsoleto no futuro próximo se você souber matemática.

E, ao contrário dos tempos racistas em que viveram as estrelas do filme, que eram obrigadas a levar livros escondidos da biblioteca pública porque eram negras, hoje a internet tem várias opções para aprender a qualquer momento, seja você jovem ou velha.

E, sim, se inspirem no filme e naquelas mulheres que existiram de verdade e que ajudaram a colocar o seu país no topo da corrida espacial.

Referência:An Overview of National AI Strategies

Fonte: http://blog.lab245.com.br/2019/04/estrelas-dos-novos-tempos-e.html

Sem comentários

Fazer comentários

Associe-se agora mesmo!